Internet, navegadores e o WC3

Ao contrário do que normalmente se pensa, Internet não é sinônimo de World Wide Web. Esta é parte daquela, sendo a WWW um dos muitos serviços oferecidos na Internet. A palavra Internet é escrita com a primeira letra em maiúscula, como nome próprio, pois, Internet e internet possuem significados diferentes. Enquanto internet significa um conjunto de redes de computadores interligadas, a Internet se refere à rede global e pública, disponibilizada pelo Protocolo de Internet. Dessa forma, existem inúmeras internets espalhadas por redes particulares, seja interligando empresas, universidades ou residências. Entretanto, existe somente uma rede única e global, o conjunto de todas as redes, a Internet. Ela é a principal das novas tecnologias de informação e comunicação. (PEREIRA, 2009)

 

Crescimento da Internet

A história da Internet teve seu início para fins militares e depois foi cedida para universidades. Nos últimos anos temos tido um crescimento acentuado no número de redes, número de hosts e volume de tráfego. Os fatores existentes para este aumento é a disponibilidade de novos serviços de diretório, indexação e pesquisa que ajudam os usuários a descobrir as informações que precisam. A maioria desses serviços surgiram em função dos esforços de pesquisas das universidades e evoluíram para serviços comerciais. (UOL, 2009)

Pesquisa realizada pela empresa comScore em janeiro de 2008 apresenta que o número de pessoas que acessaram a Internet em 2007 chegou a atingiu 824 milhões. Conforme mostra a pesquisa, a internet deixou de ser centralizada nos Estados Unidos e tem se tornando uma mídia global.

 

World Wide Web 

Web é a World Wide Web (WWW), o serviço que propagou a Internet pelo mundo. É uma grande teia mundial onde é possível acessar hipertextos (documentos que podem ter textos, imagens, sons e vídeos), e são documentos que possuem a característica de ter links (ligações) pelos quais se pode saltar de uma parte para outra de um mesmo documento, ou para outro documento. Esses documentos são acessados por meio de programas navegadores (browsers) que possibilitam a visualização do conteúdo das páginas. (WIKIPÉDIA, 2009)

Web é um sistema de informações organizado, inventado por Timothy John Berners-Lee de maneira a juntar todos os outros sistemas de informação disponíveis na Internet, a idéia básica era criar um mundo de informações sem fronteiras, para isso Timothy utilizou de três ferramentas importantes:

  • Protocolo de transmissão de dados (HTTP)
  • Sistema de endereçamento próprio (URL)
  • Linguagem de marcação, para transmitir documentos formatados através da rede (HTML). (SANTANA, 2009)

 

Navegador

Navegador (browser) é um programa que habilita seus usuários interagirem com documentos HTML hospedados em um servidor Web. Os Navegadores Web, ou Web Browsers se comunicam geralmente com servidores Web, usando principalmente o protocolo de transferência de hiper-texto HTTP para efetuar pedidos a ficheiros ou arquivos, e processar respostas vindas do servidor. Estes ficheiros ou arquivos, são por sua vez identificados por um URL (Uniform Resource Locator), em português Localizador de Recursos Universal, é o endereço de um recurso (um arquivo, uma impressora etc.), disponível em uma rede. (WIKIPÉDIA, 2009)

 

Guerra dos Navegadores

O Netscape Navigator foi o primeiro browser a ter sucesso na internet comercial. O navegador era praticamente a única opção para quem utilizava a rede nos primeiros anos. A guerra dos navegadores começou quando a Microsoft decidiu entrar no mercado. A empresa usou a tática de incluir o seu browser, a Internet Explorer junto com o sistema operacional Windows. (FONSECA, 2009)




Em uma rápida escalada, a Netscape e a Microsoft tentaram cada qual obter uma margem competitiva em termos de recursos suportados, a fim de atrair desenvolvedores. Isto ficou reconhecida como a “guerra dos navegadores”. A Opera manteve uma pequena, mas constante presença durante este período, e tentou inovar e suportar os padrões web dentro do possível naqueles tempos. (FRANCIS, 2009)

Nessa época, os trabalhos do W3C ainda estavam começando e os navegadores decidiram criar seus próprios padrões para interpretar o HTML. Os desenvolvedores tiveram que privilegiar um dos programas e a Internet Explorer acabou levando a melhor. (FONSECA, 2009)

Durante a guerra dos navegadores, Microsoft e Netscape estiveram focadas em programar novas funções em vez de consertar os problemas com as funções já suportadas, e adicionaram funções proprietárias e criaram funções que competiam diretamente com funções existentes no outro navegador, mas implementadas de uma forma incompatível. A esta altura, os desenvolvedores eram forçados a lidar com o crescente aumento do nível de confusão enquanto tentavam criar web sites, às vezes chegando ao ponto de construir dois sites diferentes para os navegadores principais, e outras vezes escolhendo suportar apenas um navegador, e bloqueando os outros de usarem seus sites. (FRANCIS, 2009)

 

W3C – World Wide Web Consortium 

O World Wide Web Consortium é um consórcio de empresas de tecnologia, atualmente com cerca de 500 membros. Fundado por Timothy John Berners-Lee em 1994 para levar a Web ao seu potencial máximo, por meio do desenvolvimento de protocolos comuns e fóruns abertos que promovem sua evolução e asseguram a sua troca de informações e/ou dados através de computadores. O W3C desenvolve padrões para a criação e a interpretação dos conteúdos para a Web. Estes padrões servem para dar maiores benefícios a um maior número de usuários e assegurar a visibilidade ao longo do tempo de qualquer documento publicado na Web. (W3C, 2009).

Créditos: artigo escrito com a colaboração de Éder Carvalho

Coordenador de curso na Etec de Itapira, pós-graduado em desenvolvimento de sistemas web e professor nos cursos de Administração e Técnico em Informática para Internet. Nerd por vocação e blogueiro por opção, é autor do livro “Diário de um Blogueiro” e dos blogs Neurônio 2.0 e Hiperbytes.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here