A História da Internet

Em outubro de 1957, durante a Guerra Fria, a União Soviética lançou com sucesso o primeiro satélite na órbita da Terra, chamado “Sputnik 1”, deixando o planeta em alerta, especialmente os Estados Unidos da América, que possuíam programa de satélites, mas ainda não haviam lançado. Este evento levou diretamente o Presidente Dwight Eisenhower à criação da ARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada) do Departamento de Defesa dos Americanos, devido a uma reconhecida necessidade de uma organização que podia pesquisar e desenvolver ideias e tecnologia avançada. (FRANCIS, 2009)

História da Internet

Em 1962, J.C.R. Licklider foi trabalhar para ARPA. Licklider, psicólogo e cientista de computação, acreditava que se pudessem usar os computadores para aumentar o pensamento humano, podia ser sugerido que uma cadeia de computadores fossem formadas para permitir a ARPA pesquisar os meios de comunicação. Ele não construiu a cadeia de computadores, mas sua ideia se manteve depois que deixou a ARPA em 1964. Bob Taylor que era o diretor de Informação da ARPA utilizou-se da ideia de Licklider com intenção de criar um modo eficiente que permitisse a vários contratantes do IPTO (Escritório de Tecnologia de Processamento de Informações) compartilharem recursos computados. Ele contratou Larry Roberts para começar o projeto de uma nova cadeia de computadores que seria conhecida como o ARPANET. Em outubro de 1967 foi apresentado o projeto para rede de computadores, sendo que, em Dezembro de 1969 estava pronta e funcionando a primeira rede, contendo quatro computadores, com o nome de ARPANET. (FRANCIS, 2009)




Os Estados Unidos possuíam antes da Arpanet outra rede que ligava o departamento de pesquisa e as bases militares, só que toda a comunicação desta rede passava por um computador central que se encontrava no Pentágono, mas em plena Guerra Fria e se a URSS resolvesse cortar a comunicação dos Americanos, bastavam lançar uma bomba no Pentágono, que deixava os Estados Unidos extremamente vulneráveis a mais ataques. A Arpanet foi desenvolvida exatamente para evitar que isto acontecesse. Com o Backbone (funciona como uma espinha dorsal e é a infraestrutura que conecta todos os pontos de uma rede) que passava por baixo da terra tornando mais difícil de ser interrompida, pois ela não tinha um centro definido ou mesmo uma rota única para as informações, tornando-se quase indestrutível. Passando a ameaça da Guerra Fria e tornando inútil a Arpanet para os militares, estes permitiram o acesso aos cientistas e no ano de 1970 as universidades e outras instituições que faziam trabalhos relativos à defesa tiveram permissão para conectar à Arpanet. (BOGO, 2009).

As universidades americanas começaram passar a Internet para as universidades de outros países, sendo assim, logo as universidades passaram a permitir que pesquisadores domésticos também pudessem acessar a Web, com isso a rede cresceu tanto que o seu protocolo de comutação de pacotes original, chamado de NCP (Network Control Protocol) criado pela Network Working Group (NWG), tornou-se inadequado. A ARPANET mudou do NCP para um novo protocolo chamado TCP/IP (Transfer Control Protocol/Internet Protocol) desenvolvido em UNIX. (SAMPAIO, 2009). Protocolo será abordado mais detalhado na seção (2.4).

 

A História da Internet no Brasil

No Brasil, a primeira rede foi criada em 1988 que ligava a universidade do Brasil a instituições nos Estado Unidos, neste mesmo ano o Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas) começou a testar o AlterNex, o primeiro serviço de Internet não acadêmico e não gorvenamental. No início, o AlterNet, era utilizado apenas por membros da Ibase e associados, só em 1992 que o público teve acesso. (RNP, 2009)

O Ministério da Ciência e Tecnologia lança em 1989 o primeiro projeto, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). A organização tinha o objetivo de capacitar recursos humanos de alta tecnologia e difundir a tecnologia Internet através da implantação do primeiro backbone nacional. Só em 1991 foi inaugurado o primeiro backbone brasileiro, que era destinado exclusivamente à comunidade acadêmica. Os provedores comerciais em 1995 tiveram a permissão do governo, para conectar com a rede. (RNP, 2009)

Com o aumento de acessos à rede e com a necessidade de uma infra-estrutura mais veloz e segura, a Internet brasileira teve uma nova fase que se iniciou em 1997, levando o país a investir em novas tecnologias. Entretanto, por falta de uma infra-estrutura de fibra óptica que cobrisse todo o território nacional, optou-se pela criação de redes locais de alta velocidade, aproveitando a estrutura de algumas regiões metropolitanas. Foi implantado em 2000 o backbone RNP2 com o objetivo de interligar todo o país em uma rede de alta tecnologia. A partir de 2005, a comunicação da rede começou a ser ampliada com o uso de tecnologia óptica, o que elevou a capacidade de operação a 11 Gbps.

AUTOR: Eder de Aquino Carvalho

Coordenador de curso na Etec de Itapira, pós-graduado em desenvolvimento de sistemas web e professor nos cursos de Administração e Técnico em Informática para Internet. Nerd por vocação e blogueiro por opção, é autor do livro “Diário de um Blogueiro” e dos blogs Neurônio 2.0 e Hiperbytes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here